2013

Aprendemos que, por pior que seja um problema ou situação, sempre existe uma saída. E que é bobagem fugir das dificuldades. Mais cedo ou mais tarde, será preciso tirar as pedras do caminho para conseguir avançar.

Aprendemos que, heróis não são aqueles que realizam obras notáveis. Mas os que fizeram o que foi necessário para essa realização.

Aprendemos que, ao invés de ficar esperando alguém nos trazer flores, é melhor plantar um jardim.

Aprendemos que cabe a nós a tarefa de apostar nos nossos talentos e realizar os nossos sonhos.

Aprendemos que, o que faz diferença não é o que temos na vida, mas QUEM... nós temos.

Aprendemos que o tempo é precioso e não volta atrás. Mas mesmo assim, vale a pena resgatar o passado e viver as emoções do presente.


O nosso futuro ainda está por vir. Então devemos descruzar os braços e vencer o medo de partir em busca dos nossos sonhos


“Confie em você e no seu potencial, tire as suas idéias da gaveta e coloque-as em pratica!”


PROFª ROGÉRIA TELES


sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Conquista da Escola Normal


Após o lançamento da pedra fundamental no local que foi construído o imponente edifício, o Coronel Manuel Franco da Silveira, então prefeito municipal, lutou para a conquista da Escola Normal para a cidade, o coronel faleceu em 1912 sem poder ver a sua construção.  
Aconteceram também às manobras da política estadual no sentido de paralisar as obras de construção, o Dr. Fernando Costa sucessor do Coronel Franco na Prefeitura tudo fez para que a Escola Normal continuasse em Pirassununga e em 29 de novembro de 1919, ocorre à inauguração oficial do prédio.
Em 1953 a Escola Normal é transformada em Instituto de Educação Pirassununga, nome que não é esquecido, até hoje a sociedade pirassununguense chama a majestosa escola de IEP.


10 comentários:

Professor Italo-SENAI disse...

Ahhhhhhhhhhhhh meu querido IEP... voltarei a Pirassununga para lhe dar o meu abraço de agradecimento, por ter abrigado tantos Mestres, que muito fizeram pela educação de várias gerações.
OBRIGADO SEMPRE !!!

E E PIRASSUNUNGA disse...

“As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo”

Ítalo esperamos vc para o abraço no Centenário!

amelinha disse...

OH MEU QUERIDO IEP QUE SAUDADES ME TRAZ ,DOS HINOS CANTADOS TODA MANHA ANTES DE ENTRAR NA SALA DE AULA
ME LEMBRO DO MEU PAI O MISAEL COM AQUELE SINO AVISANDO PARA A ENTRADA , O RESPEITO COM OS PROFESSORES E SERVENTES A HORA DO RECREIO AS AULAS DE ARTESANATOS ENFIM SE EU FOR RECORDAR TUDO NAO VAI CABER AQUI PARABENS IEP QUERIDO

Professor Italo-SENAI disse...

Amelinha, tu tens que se sentir uma abençoada por tê-lo como Pai.Pessoa simples,meiga, carinhosa, gentil e competente.
Que consolou nosso choro (no jardim da Infância)e depois com o passar do tempo nos orientava quando de nossas travessuras (e foram muitas...).Sem no entanto nunca perder a tranquilidade, a sabedoria dos grandes educadores (que Ele foi).O sino em sua mão era apenas um objeto a tentar esconder toda sua sabedoria.Foi um educador sim.Felizes ( e Eu sou um) porque pude conviver com uma pessoa tão fantástica como Ele.Deixou um legado na história do nosso IEP.
[ ]

Carlos fernandes disse...

Estudei no IEP de 1954 a 1966, do "Jardim da Infância" ao Normal.
Em 1961, quando do cinquentenário do IEP, eu estava na 2a. série ginasial. Lembro-me bem do blusão "pullover" azul, com a marca IEP dentro da elípse que estreiamos na "Marche aux Flambeau". Lembro-me da revista comemorativa dos 50 anos, organizada pelo Prof. Sérgio Collus, capa azul, estilizada pelo Prof. Jaime Albuquerque, do brasão do IEP, dele também- "Ad Astra Per Aspera"-poeticamente descrito pelo Prof. Claudionor Fernandes de Lima.
Nos anos seguintes, participei do Orfeão do Professor Valmor, da Fanfarra de vários mestres.
Em 64 /65 juntamente com Washington, Ebne Faggion, Bernanrdes Neto, Tigela, e outros, reativamos o Grêmio VI de Agosto, cujo Centro Teatral iniciou uma retomada do teatro em Pirassunuga, com a participação do Prof. Edgar Rizzo, e tantos amigos, tantos que merecerão uma citação especial. O Centro Teatral acabou gerando o TEP, Teatro do Estudante de Pirassununga, com montagem d' O Pequeno Príncipe, e muitas outras e o GETEN, Grupo Experimental de Teatro Novo, que encenou Geten Conta Zumbi...

Carmita Fernandes disse...

Durante 13 anos , de 1958 a 1970, desfrutei desse espaço maravilhoso que é o nosso IEP. A minha formação escolar e de cidadã, adquiri nas aulas de professores memoráveis, na companhia de amigas(os) que foram, e são, importantes na minha vida.Tenho grata lembrança de um breve período , 1972, quando, ainda aluna do curso de Matemática da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Rio Claro, lecionei para alunos ginasianos.
Antes de mim, meus pais, Mauricio e Clélia foram alunos da Escola Normal na década de 40. Minha mãe foi, também, professora do curso nos anos 60 e 70.

Suzana disse...

Estudei no IEP de 1958 a 1962, fiz o Ginásio (após passar pelo Exame de Admissão), o Normal, turma de 61 (também com vestibular) e o Aperfeiçoamento (62).
Muito feliz a escolha de seu codinome "templo", me reverencio a esta escola com todo meu respeito.

Dedé disse...

Assim como meus pais Ruth e Sebas Sundfeld, tive a honra de me educar no IEP. E que educação... Em 1958 cheguei de Tambaú para completar o ginásio e me preparar para o curso Normal.Havia vestibular para esse curso. Em 1961, Ano do Jubileu de Ouro, foi nossa formatura. Você se lembra Suzana? Durante esse período nossa vivência foi de camaradagem, carinho, respeito e seriedade - nem sempre né? afinal só tinhamos 14 anos. Tenho umas fotos de nossa festa de formatura na casa do prof. Augusto Guelli Neto e o Misael e sua esposa Cidinha, participaram dessa comemoração. (Será postada nesse blog). Todos os nossos professores deixaram muitas saudades e seus exemplos marcaram nossas vidas.
parabéns IEP "Templo Sagrado"

Anônimo disse...

Estudei na EEPSG "Pirassununa" nos anos de 1981 a 1983. Ainda tive a oportunidade de assistir às aulas de professores da velha guarda como Dr. Fausto Victorelli, Therezinha Veneroso, Jaime Montanheiro, dentre outros, que nesse curto período de tempo conseguiram demonstrar o que é o amor à educação, ao conhecimento e ao ensino de qualidade. Nessa época, houve o incêndio e a restauração do prédio e ainda tive tempo de desfrutar um pouco deste maravilhoso prédio. Tenho saudades sempre. Pretendo ir a Pirassununga e apresentar o edifício a meus filhos.

lua singular disse...

Estudei No IEP DE 1964 à 66.
Que base tive aí.
Adorava, morava em Santa cruz das Palmeiras e vinha de trem que parava nos trilhos perto da escola.
Quantas saudades!
Dorli da Silva Ramos
Blog: Lua Singular